Fundamentação

Missão

Oferecer uma educação centrada no sentido da vida, para o desenvolvimento do ser humano integral, único e irrepetível, nas dimensões biológica, psicológica e poética ou espiritual, desenvolvendo as potencialidades do educando, da família e da equipe de trabalho, para que saibamos escolher e agir com consciência, liberdade e responsabilidade, e assim, contribuir na transformação do mundo, dentro dos princípios, valores e virtudes da fé católica, respeitando as outras religiões.

Visão

Colégio Viktor Frankl, uma escola de excelência e de referência nacional na Pedagogia do Sentido, unida para a formação de uma humanidade nova, constituída por pessoas livres, conscientes e responsáveis, comprometidas com o sentido da vida pessoal e da vida comunitária.

Valores

Dentro da nossa Missão, com a Visão de mundo que temos, buscamos realizar os valores: Alegria; Responsabilidade; Fé; Esperança; Respeito; Tolerância; Solidariedade; Cooperação; Humildade; Simplicidade; Unidade na diversidade; Paciência; Acolhimento; Otimismo; Compromisso; Honestidade e Competência.

Ideário Pedagógico

EDUCAR PARA ESPERANÇA, TRABALHAR PELA PAZ E COMUNICAR PARA O BEM!
Usamos uma metodologia que estimula as potencialidades pessoais e trabalha para a superação de limitações individuais, valorizando a socialização.
As técnicas pedagógicas utilizadas buscam desenvolver no educando conhecimentos, atitudes, valores e o prazer pelo estudo, enaltecendo a alegria.

Nosso propósito:

Educar pessoas que tenham esperança e capacidade de superação; que com competência, trabalhem pela paz; sabendo comunicar o Bem com ideias claras, precisas e criativas, para o desenvolvimento da sociedade.

Pedagógica:

Pedagogia do Sentido, fundamentada em Viktor E. Frankl e Victor Garcia Hoz.
Além de transmitir conhecimentos, nossa escola busca aguçar a consciência de nossos alunos para que eles possam encontrar em cada situação singular, o sentido a ser realizado. A Pedagogia do Sentido é uma educação para a responsabilidade, para a capacidade de responder com decisões autênticas e conscientes.
Consideramos o aluno em sua singularidade, criatividade, autonomia, liberdade, abertura e comunicação, na descoberta de suas excelências, para a realização do seu projeto pessoal de vida.

Filosófica:

Análise Existencial de Viktor Emil Frankl, que considera a pessoa humana um ser único e irrepetível, com as dimensões biológica, psicológica e noética ou espiritual; um ser relacional chamado a uma missão. O valor da pessoa humana está em sua dignidade incondicional e não em sua utilidade ou poder de consumo. Considera que a busca e a realização do sentido da vida é o caminho saudável e a principal motivação da pessoa humana, o caminho que tem como consequência, a alegria, o êxito, a felicidade.

Administrativa:

Economia de Comunhão de Chiara Lubich, que propõe a “cultura do dar” e a fraternidade no agir econômico como resposta à “cultura do ter”; o Homo Donatur como resposta ao Homo Consumens.

Víctor García Hoz

pedagogo espanhol

Víctor García Hoz, pedagogo espanhol, nasceu a 30 de março de 1911 em Campillo de Aranda (Burgos). Estudou na Escola Normal de Docentes de Madrid e no ano de 1936 licenciou-se na Faculdade de Filosofia y Letras da Universidade Central. Foi o primeiro doutor em Pedagogia da Espanha e obteve a Cátedra de Pedagogia Superior na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade Complutense de Madrid (1944). Suas investigações se relacionaram com a sistematização dos conhecimentos pedagógicos com os livros: Princípios de Pedagogia Sistemática e Pedagogia Visível e Educação Invisível. Sua mais original contribuição se centraliza na Educação Personalizada, corrente pedagógica que está estendida pela Espanha, Portugal, Itália y toda Iberoamérica, incluindo o Brasil. Também fez investigações sobre aspectos antropológicos. Ao início dos anos 60 inicia na Espanha, junto com outros profissionais e pais de alunos um centro de pesquisa em Educação: Fomento de Centros de Enseñanza. Foi o primeiro diretor do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Complutense de Madrid, e fundador da Sociedade Espanhola de Pedagogia e de sua revista Bordón. Foi professor catedrático de Pedagogia Experimental e diferencial na Universidade de Madrid e acadêmico da Real Academia de Ciências Morais e Políticas. Víctor García Hoz faleceu em 18 de fevereiro de 1998.
“Uma educação personalizada repousa sobre uma dupla convicção: a de que qualquer homem, apesar de suas limitações, pode dar um sentido à sua vida, e a de que um rendimento, aceito pela sociedade como suficiente, não pode ser aceito como tal se a pessoa é capaz de dar além do que tem dado”.
Víctor García Hoz (1988, p. 41)

victor garcia

Víktor Frankl

Toda pessoa, mesmo sob aquelas circunstâncias, pode decidir de alguma maneira no que ela acabará sendo, em sentido espiritual: um típico prisioneiro de campo de concentração, ou então uma pessoa humana, que também ali permanece sendo ser humano e conserva a sua dignidade.

Viktor Frankl


Nascimento: 26 de março de 1905 em Viena, Áustria.
Os pais eram judeus praticantes e rezavam diariamente. E já enfrentavam a discriminação, mas isto não afetou o sentido de segurança e satisfação da infância.
Falecimento: 2 de setembro de 1997 em Viena, Áustria.
Vida: 11 anos.
Obstáculo: 1ª Guerra Mundial – fome e racionamento de alimentos.
Superação: cooperação, trabalho. Viktor saia de casa às 3 horas da manhã, inclusive no inverno, para ficar na fila do mercado para sua mãe comprar pão; e depois, ia para a escola.
Vida: adolescência. Nesta idade já começou sua busca filosófica.
Obstáculo: ateísmo, nihilismo, pessimismo.
Superação: buscou o sentido da vida.
“O que é o que, depois de tudo, humaniza as pessoas? Qual o sentido da vida?”
Com 17 anos, escreve o texto: “Da afirmação e da negação mímicas” enviando-o a Freud que o publica, posteriormente, no Jornal Internacional de Psicanálise. Ao mesmo tempo em que se agarrava a Freud, também começou uma relação, que duraria por toda a vida, com o Existencialismo, um movimento europeu que surgiu como reação ao resto dos sistemas filosóficos e científicos dominantes. O jovem Viktor começou a perceber o nihilismo e o reducionismo como uma ameaça, não só para seu próprio ser como para toda a sociedade.
Aproximou-se então dos existencialistas mais positivos e otimistas: Martin Heidegger, Gabriel Marcel, Karl Jaspers, Martin Buber, Max Scheler. Graças a outros filósofos e professores, Viktor pode sair a tempo de sua crise nihilista e começou a forjar suas próprias convicções.

viktor frankl

Chiara Lubich

Fundadora do Movimento dos Focolares

Chiara Lubich nasceu em Trento, Itália em 22 de janeiro de 1920 e faleceu em Rocca di Papa, em 14 de março de 2008. Durante a Segunda Guerra Mundial, em Trento, sob os bombardeamentos que destruíam tudo, Chiara, que na época tinha pouco mais de 20 anos, vivendo naquele clima de ódio e violência, experimenta o encontro com Deus Amor, o único que não passa. Esse encontro a leva a fundar o Movimento dos Focolares, um movimento que tem como finalidade a construção de um mundo unido, a concretização de uma cultura da unidade, adequada à sociedade multiétnica, multirracial e multirreligiosa.
Chiara Lubich precedeu os tempos. Mulher e leiga, ela propôs na Igreja temas e aberturas que mais tarde seriam retomadas pelo Concílio Vaticano II. Quando ninguém falava de aproximação entre civilizações, ela soube indicar, na sociedade internacionalizada, o caminho da fraternidade universal. Respeitou a vida e buscou o sentido do sofrimento. Traçou um caminho de santidade, religiosa e civil, praticável por qualquer pessoa, de qualquer idade ou crença religiosa, não reservada a poucos eleitos.
A obra de unidade, de paz e de diálogo entre povos, religiões e culturas promovida por Chiara Lubich foi reconhecida publicamente por organismos internacionais, culturais e religiosos. Recebeu, entre outros reconhecimentos, o Prêmio Templeton para o Progresso da Religião (1977), o Prêmio Unesco 1996 para a Educação para a Paz, o Prêmio dos Direitos Humanos do Conselho da Europa (1998), doutoramentos honoris causa conferidos por Universidades de diversos países, cidadanias honorárias, além de reconhecimentos por parte de grandes religiões e de líderes de diversas Igrejas.

Todos os direitos reservados. © Colégio Viktor Frankl